Outra questão que influenciou a decisão do desembargador foi o fato de o presidente da Igreja Assembleia de Deus de Luziânia, Sebastião Tavares – pai da ré – ter solicitado aos pastores que fizessem listas de fiéis que seriam potenciais eleitores da filha.

Os pastores seriam obrigados a conquistar os referidos votos.

Outro membro da igreja alegou no processo que apesar de existirem outros 5 candidatos que pertenciam a denominação religiosa, apenas Valdirene tinha acesso ao microfone da igreja.

A decisão é de segunda instância e a ex-vereadora, que já havia sido condenada em primeira instância e que continuava no cargo através de liminar, será substituída definitivamente por seu suplente

 

Veja a programação 

 

 

    Matrículas Abertas 

 

 

Política Região Metropolitana 

Vereadora de Luziânia/Go, tem mandato cassado pelo TRE por abuso de poder religioso

A cassação do mandato da ex-vereadora Valdirene Tavares teve como prova principal um vídeo em que ela faz reunião dentro da igreja e sem nenhuma preocupação pede votos aos presentes

A sentença saiu no último dia 12 e foi proferida pelo desembargador do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás Fabiano Abel de Aragão.

A cassação do mandato da ex-vereadora Valdirene Tavares teve como prova principal um vídeo em que ela faz reunião dentro da igreja e sem nenhuma preocupação pede votos aos presentes.